quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Receita para o Ano Novo

Será que existe receita para se viver um novo ano?
O nosso grande Carlos Drummond de Andrade diz que sim e nos presentei-a com um poema.









Receita de Ano Novo
                                                  
    Carlos Drummond de Andrade
Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação como todo o tempo já vivido
(mal vivido ou talvez sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser,
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?).
Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar de arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto da esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.
Para ganhar um ano-novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.


                 Lindo!...Lindo!... Lindo!... Você não achou?
                          Siga a receita ou me mande outra.

FELIZ ANO NOVO!

AINDA É DEZEMBRO! MESMO QUE O SEJA,SÓ POR MAIS ALGUMAS HORAS.
E AS HORAS E MINUTOS SÃO MÁGICOS!...
PORQUE NÃO TRANSFORMÁ-LOS EM ALGO MUITO MAIOR EM SOLIDARIEDADE, UNIÃO, PARTILHA E ESPOUCAR COMO OS FOGOS DE REVEILLON COM COLORIDO E PAZ, NUMA ENORME CORRENTE DE AMOR?
QUEM SABE ASSIM CONTRIBUIREMOS PARA UM MUNDO MAIS CONDIZENTE, COM O QUE DESEJAMOS PARA OS NOSSOS DESCENDENTES E PARA TODOS NÓS QUE QUEREMOS VIVER MUITO MELHOR.  

          PENSE NISSO!...          REFLITA! ...
JÁ É BASTANTE PARA UM BOM COMEÇO!


A ACADEMIA ITAJUBENSE DE LETRAS DESEJA A TODOS OS SEUS MEMBROS E A SEUS AMIGOS  UM FELIZ ANO DE 2011. QUE A PAZ E A PROSPERIDADE  PERMANEÇAM POR TODO O ANO COM TODOS VOCÊS.

OBRIGADO PELA COMPANHIA DURANTE TODO O ANO DE 2010 E ESPERAMOS ENCONTRA-LOS NOVAMENTE POR AQUI  OU PESSOALMENTE.

AGUARDAMOS SUGESTÕES PARA INOVAÇÕES FELIZES E ADEQUADAS.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

VOCÊ É ANIVERSARIANTE! PARABENS!


Se você aniversaria em Dezembro saiba que desejamos um mundo de felicidades para você.   PARABENS ! ...                  FELICIDADES ! 




                    GRANDE  ABRAÇO ! ...

APAGUE AS VELAS, MAS NÃO SE ESQUEÇA DE FAZER UM PEDIDO.
 É SEMPRE BOM TER UM SONHO DE RESERVA. 
TENHO CERTEZA DE QUE VOCÊ OS TEM !... 

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Os acadêmicos da AIL escrevem sobre o Natal

        O Carneirinho do presépio de Jesus Menino

                                          Maria de Lourdes Maia Gonçalves-AIL
O carneirinho estava ali, bem próximo à manjedoura, quando Jesus nasceu. Minutos antes, atônito e embevecido, viu a claridade da Estrela de Belém tomar conta da gruta e imaginou que algum fato importante iria acontecer naquela noite. Por isso – e atendendo aos instintos de um predestinado – não saiu pela campina junto aos outros carneirinhos, preferiu ficar e ser testemunha ocular daquele evento universal que estava para acontecer.
O brilho do astro, a presença de pastores, os Reis Magos... Pensava o carneirinho – haveria mesmo de ser uma noite diferente de todas as outras e, o mundo, nunca mais seria o mesmo. Ele estava ali, pequenino, com seu doce e manso olhar, pronto para participar daquela Noite Santa. Sequer sentiu-se ameaçado quando animais bem maiores do que ele se posicionaram em volta de José e Maria – juntamente com o anjo de asas cintilantes que acabara de chegar – tampouco desprotegido, sem a mãe ali por perto.
Ouve-se do alto a canção – seriam os pássaros? Logo percebeu que era outro canto, talvez dos amigos do “menino de asas” postado em frente à manjedoura. Será que alguém poderia lhe explicar, com detalhes, o que iria ocorrer ali? Maria pede ao anjo que informe e tranquilize o carneirinho. O seu amiguinho já ia nascer. – O amiguinho seria outro anjo? A fantasia tomou conta daquele carneirinho que veio ao mundo com a missão de ser amigo de uma criança santa.
Agora, era a flauta do querubim que anunciava a chegada de Jesus com bela canção natalina. A luz expandiu-se na noite, a música celestial tornou-se contagiante. Tudo se manifestava em favor daquela Noite Gloriosa. O carneirinho olhou para o céu, olhou para a terra e, viu, em todo o seu esplendor, o Santo Menino envolvido em manto, a sorrir para ele – o seu primeiro amigo de infância!...
Há quem diga que o carneirinho acompanhou o Menino Jesus por todos os lugares e por muitos anos. E que não havia um só lugar naquelas paragens orientais que não tivesse sido percorrido por Jesus, seu amigo carneirinho e outros amigos – de todas as espécies.
A mensagem que fica da história do nascimento de Jesus, é de que veio ao mundo para ensinar o homem a cultivar o amor a si próprio, ao semelhante e a todos os seres, traduzido pelos bons sentimentos – a referência da paz! Porquanto, o amor é luz que guia os passos dos seres. Se assim não acontece, demos-nos as mãos, graças a Deus pela vida e caminhemos juntos, como fazia Jesus com o carneirinho e seus amigos


                               Et incarnatus est
                                                                       Natanael Gonçalves - AIL
Belas colinas adornando os arredores de Nazareth,
Com casas brancas, nas encostas dependuradas.
Seus belos campos de lindas flores enfeitadas,
Ali nasceu Virgem Maria, filha predileta de Jahvé.

Donzela pura, imaculada, foi apresentada a José,
Homem simples, humilde carpinteiro, mãos calejadas.
Ao ser tocado pelo anjo, aceitou sua missão sagrada;
Preparou-se para a paternidade com amor e fé.

A escolhida, pelo divino mensageiro visitada,
Extasiada pela revelação, emocionada assim falou:
“Eis aqui a serva do Senhor,” sinto-me honrada,

Como mãe do Unigênito, serei a morada.
“E o verbo divino de fez carne” e entre nós habitou.
Assim foi que o mistério da concepção se consumou.





VOCÊ CONHECE CLARICE? ELA É A NOSSA ESCRITORA DO MÊS.

Dentre inúmeros escritores nascidos no mês de Dezembro,Clarice Linspector foi a escolhida para a nossa homenagem do mês.
A escritora Clarice Lispector nasceu no dia 10 de dezembro de 1925, na Ucrânia. Veio menina ainda para o Brasil com sua família, que se radicou em Alagoas. Formou-se em Direito e em seguida foi para a Itália, onde recebeu a notícia de que seu romance Perto do coração selvagem , que havia escrito em1943, ganhara o Prêmio Graça Aranha. Viveu na Suíça e na Inglaterra e várias de suas obras obtiveram divulgação internacional. Clarice, com sua especial sensibilidade, continua sendo estranha e fascinante na literatura brasileira.
Faleceu no Rio de Janeiro em dia 9 de dezembro de 1977 deixando-nos as obras: Perto do coração selvagem; Laços de família (contos); A maçã no escuro; A paixão segundo G. H.; Para não esquecer (crônicas); A bela e a fera (contos).
                   - Aqui um poema seu para nosso deleite -
Precisão
O que me tranquiliza
é que tudo o que existe,
existe com uma precisão absoluta.
O que for do tamanho de uma cabeça de alfinete
não transborda nem uma fração de milímetro
além do tamanho de uma cabeça de alfinete.
Tudo o que existe é de uma grande exatidão.
Pena é que a maior parte do que existe
com essa exatidão
nos é tecnicamente invisível.
O bom é que a verdade chega a nós
como um sentido secreto das coisas.
Nós terminamos adivinhando, confusos,
a perfeição.

Algumas Datas Comemorativas do Mês de Dezembro

Dentre as inúmeras datas comemorativas de Dezembro destacamos algumas:
 01 – Dia do Imigrante.
 02 – Dia do Samba.
 02 – Dia Internacional da Abolição da Escravidão.
 02 – Dia Nacional das Relações Públicas
 04 – Dia da Propaganda.
 05 – Dia do Voluntário.
 05 – Dia Internacional do Desenvolvimento Econômico e Social.
 08 – Dia da Justiça.
 08 – Dia do Cronista Esportivo.
 08 – Dia Nacional da Família
 10 – Dia do Palhaço.
 10 – Dia Internacional dos Direitos Humanos.
 15 – Dia do Jornaleiro
 16 – Dia do Teatro Amador
 23 – Dia do Início do Verão.   
 25 – Dia de Natal.
 26 – Dia da Lembrança.
 29 – Dia internacional da biodiversidade


PARABENS AOS ANIVERSÁRIANTES DO MÊS DE DEZEMBRO. QUE A LUZ DO AMOR E A BANDEIRA DA PAZ ILUMINEM TODOS OS SEUS DIAS DESTE NOVO ANO DAS SUAS VIDAS. 









sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

* DEZEMBRO*

                B O A S   F E S T A S

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Ainda notícias de novembro.

 * O mês de novembro transcorre com inúmeras notícias gratificantes para a AIL e seus membros. A Revista Tradição de Maringá deu enorme atenção ao nosso estado de  Minas Gerais, através dos textos e notícias dos academicos da AIL e de outros redatores.

* Ainda, a Revista Tradição,do mês de setembro que vários academicos recebem por atenção do Sr. Jorge Fregadolli, notíciou em pagina inteira o poema de Sônia Maria de Faria, lindo e pleno de recordações da infância, sobre uma conversa de menina com sua boneca de pano. De cortesia, uma linda ilustração de uma boneca de pano artesanal .

* O próximo número da Revista Tradição, referente ao mês de outubro, que os academicos devem estar recebendo por estes dias,  deu especial ênfase de pagina inteira, também, à reunião em homenagem a D. Mariana Marques Machado, que chegou com várias ilustrações, e que já tinha sido notíciado aqui neste espaço. E, um bonito texto sobre as Grutas Mineiras escrito pelo acadêmico Fredmarck Gonçalves Leão e também um texto sobre as Montanhas de Minas, elaborado com tanta maestria pela academica Maria de Lourdes Maia Gonçalves.

Nosso agradecimento ao Sr. Jorge Fregadolli pela consi-deração e carinho dispensado à Minas Gerais e a AIL de Itajubá construindo uma verdadeira corrente de fraternidade entre pessoas que lutam através de suas obras literárias por uma divulgação e desenvolvimento lítero-cultural.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Uma Crônica para o fim de semana


    Da janela, a paisagem!

                                                                                    Lina Maria Lisbôa da Silva – AIL.
E, que linda, paisagem!
Mais uma vez estou aqui percorrendo as estradas do Paraná. Digo isto, pois o faço, periodicamente, no decorrer do ano.
As plantações de soja alongam-se, lado a lado, até o cinza do asfalto.
Agora, é tempo da soja. Já foi a época do milho e do trigo.
O verde se estende ao perder da vista. Quase até a linha do horizonte. Muitas vezes, é confundido, mas com verde também, só que em outro tom. Não dá para imaginar outra coisa, senão o de um armazém para a humanidade. Com tudo isto, não dá para ter gente passando fome.
E, tem. Não dá para nos isentarmos de uma reflexão sobre a situação.
Uma sensação boa, diante da beleza da paisagem, vem me acalentando e esqueço o incomodo do sacolejar do ônibus e do calor. E também não quero pensar muito em termos de mudança social. Incomoda, eu sei, mas carrego uma teimosa esperança. Coisa de poeta!
Sem querer, penso nas pessoas que passaram por aqui e que admiraram, como eu, esta explosão da natureza. Sei também, que nem sempre as pessoas pensam assim. Pois, perdem com a falta de observação.
É lindo, demais!...Esqueci -me da máquina de retratos. Tenho fotos de plantações e tiraria outras se a tivesse em mãos. Gosto do que meus olhos vêem.
As plantinhas crescem viçosas e estão com uns 20 cm. Da janela as folhas parecem um veludo e de tão juntas, não dão espaço para que se veja o chão. Por isso, a idéia de um tapete mágico.
Na há ninguém por perto. O verde fala por si. Dentro da lógica, passaram por aqui, homens a trabalhar a terra, a preparar e plantar. Máquinas a arar, caminhões trazendo gente e adubo. Lavradores ao trabalho desde o nascer do sol, que castiga nestes meses de primavera- verão. Mais tarde virão colher. A época de colheita é uma festa. Não falta trabalho para quem quer laborar. Mas, ainda tem tempo. Enquanto isto, quem trabalha é a força da natureza.
Penso no descuido, que os homens em geral, tem por ela. É preciso mais consciência, e não esquecer de que da terra brota a vida. "É preciso um alerta. Antes que os anjos toquem as trombetas”, como eu já disse em um dos meus poemas.

- Antes que seja tarde demais - estas palavras martelam a minha cabeça.











NOTÍCIAS EM FOCO

 * A acadêmica Yvelise Crepaldi foi agraciada com o 2º lugar em Ouro Branco . Seu conto" Uma Questão de esquecimento" levou-a à premiação. Parabens, Yvelise! É uma alegria receber uma notícia assim. Continue a nos brindar com seus contos e levá-los ao Brasil todo. E, porque não, ao exterior também. Parabens AIL!

* Os acadêmicos Carlos Alberto da Silva e Lina M.Lisbôa da Silva, em viagem,  passaram pela cidade de Maringá, e fizeram uma visita aos escritórios da Revista Tradição, onde cumprimentaram o Sr.Jorge Fregadolli levando o abraço de  agradecimento da  AIL, pela grande divulgação e atenção dada a esta entidade  e seus membros.



ALEGRIA E EMOÇÃO NA HOMENAGEM AO PROFESSOR PAULO ROBERTO LABEGALINI

A Academia Itajubense de Letras, na sua reunião do mês de novembro, homenageou o professor Paulo Roberto Labegalini.



A Presidente da AIL, Sra Terezinha Ofélia Nascimento Rennó e o Professor Labegalini
A Mesa de Trabalhos composta pela  Presidente da AIL, Sra Terezinha Ofélia Nascimento Rennó, e pelos acadêmicos Paulo Nogueira e Ana Cley Marques Pizzarro.

No transcorrer da reunião os acadêmicos presentes apresentaram seus trabalhos e seus cumprimentos ao professor Labegalini,  que se sentiu bastante emocionado com a homenagem, segundo sua próprias palavras. O prof. Labegalini estava acompanhado da família e de amigos que vieram cumprimentá-lo pelo evento. No artigo que ele escreveu para o jornal " O Sul de Minas", de Itajubá, na sua coluna semana
" Oriente-se" ele fala da homenagem e de suas emoções. 
"Domingo passado,  dia 21 de novembro, recebi uma homenagem da Academia Itajubense de Letras que me deixou emocionado. Numa solenidade ímpar, fui condecorado com o Diploma de Honra ao Mérito pela participação cultural, social e artística em nossa cidade.
... se soubesse que as emoções seriam tão fortes, teria tomado um calmante. Também disse que ser homenageado por imortais é coisa do outro mundo! E passei a falar com o coração, já que tudo o que eu pensei dizer foi apagado pelas lágrimas".

Dentre as inúmeras  manifestações dos acadêmicos, Marcos Antonio Olivas, Paulo Roberto Tavares Pereira, Wilson Ribeiro de Sá, Rozelet Fernando Armentano Silva, Fredmarck Gonçalves, Ambrosina Freitas Paiva, Sônia Maria de Faria, Ana Cley Marques Pizzarro, Leopoldina Menezes, D. Alzira  e amigos, a presidente da AIL, a  sempre simpática  e dinâmica Terezinha Ofélia Nascimento Rennó, leu um soneto de seu pai, Benedito Nascimento, o nosso inesquecível B. Nascimento, que segundo ela, poderia ter sido feito para a pessoa do professor Paulo Roberto Labegalini.



                        Fogo Santo.

   “Eis, meu Senhor; aos vossos pés minha alma.
    Contrita e pronta ao fogo desse Amor,
    que, sendo agitação, refreia e aclama,
    e, sendo chama, apaga toda dor...

     Que o caminho tortuoso e duro espalma,
     e, sendo chispa, abranda o sofredor;
     que emana dessas mãos, sangrando a palma,
     do vosso atroz martírio, ó meu Senhor!

      Essa fogueira não me faz espanto,
      que é refrigério, é fogo sacrossanto.
      Lançai-me nele, nele irei queimar-me...

       Incinerai-me em vosso fogo ameno!
       Minha alma pronta está e estou sereno:
       condenado a esse fogo, hei de salvar-me.”






quarta-feira, 17 de novembro de 2010

CONVITE DA ACADEMIA ITAJUBENSE DE LETRAS PARA A REUNIÃO DO MÊS DE NOVEMBRO

                                            CONVITE

A Academia Itajubense de Letras tem a satisfação de convidar v. Ex ª e Exma. Família para a reunião mensal que acontece no 3º domingo de cada mês.
Desta feita, prestaremos merecida homenagem ao Pró-reitor de Cultura e Extensão Universitária da Universidade Federal de Itajubá - UNIFEI -
Paulo Roberto Labegalini


Data: 21 de novembro de 2010
Horário: 15:00 horas
Local: Auditório Antônio Rodrigues d´Oliveira
Rua Cel. Rennó, 07, em frente à Matriz de Nossa Senhora da Soledade.

Sua presença abrilhantará nosso sodalício.
               Terezinha Ofélia Nascimento Rennó
                             Presidente








sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Um pouco de enlevo e poesia não fazem mal algum...

O encanto das artes
                        Sônia Maria de Faria - AIL
O poeta sonha...
E do arranjo das palavras
Nasce a poesia.
O músico, no sublime desejo,
Cria vida e sentimento
No arranjo dos sons.
Ambas – música e poesia –
Envolvem sonho, harmonia
E se entrelaçam no encanto do amor.
Um mundo de fascinação...
Mundo onde mora a sensibilidade...
Universo sem fronteiras
Sem fim.
Sempre haverá
O músico
O poeta
– Ora o pensamento sereno,
Ora a ânsia incontida –
E cantarão eles na pauta
A arte do amor...
A arte da vida...
As Posses
            Carlos Alberto da Silva – AIL
O seu sonho era a casa própria. Quando tomaria posse dela? Ainda menino viera da área rural para a cidade. Estudara, mas não muito. O bastante para começar o seu trabalho, como empregado, no comercio local.
Dedicado, atencioso, curioso, assíduo. Com o tempo e a aplicação adquirira a confiança do patrão. Este lhe propusera sociedade. União entre capital e trabalho. Aceitara.
Enamorado de uma normalista vira na sociedade a oportunidade para consolidar a sua profissão e a união eminente.
Fora feliz em ambos. No dia a dia do comércio e no lar que construíra. A normalista se tornara dedicada professora e colaborava com seus rendimentos para a poupança do casal. Estavam otimistas. Os tempos eram diferentes. Não havia a guerra como quando se casaram em 1942 e o racionamento lhes assolara o lar.
Não. Minas era governada por um médico, ex - prefeito da capital e que aspirava a presidência da república com sua clareza de propósitos e simpatia contagiante.
Admirava-o. Sim, iria aderir ao entusiasmo do momento. Construiria a sua casa. Já possuía o terreno e o projeto, frutos de suas primeiras economias.
A obra se iniciara. As dificuldades foram muitas. Ora materiais inadequados. Ora mão de obra de pouca qualificação. E assim, aos poucos, mas sempre, tornara realidade o seu sonho.
Acompanhava, de longe, a trajetória do médico mineiro que se elegera. Mas, a instabilidade política do país era real. Golpes e contra golpes poderiam impedir sua ascensão à presidência da república. Mas a situação se acalmara quando um general, sisudo e de poucas palavras, exigiu respeito ao resultado eleitoral.
Era 31 de janeiro. O ano: 1956. A obra, finalmente,terminara. A casa reluzente. A pintura alegre. Os tacos encerados. As vidraças cristalinas. Estava orgulhoso ao lado da companheira inseparável. Naquele dia fizera a instalação das arandelas, do lustre da sala e dos globos dos cômodos e dos quartos dos meninos. Faltava somente a luminária do quarto de casal e para lá se dirigiu. Subiu na escada (em V invertido) e se preparava para a montagem da luminária escolhida com tanto gosto. Estava emocionado!
De repente, em uma manobra inadvertida, a luminária lhe escapou das mãos e se espatifou nos tacos de peroba do assoalho. Foi um barulho rouco e grave como o que se ouviu no espocar da primeira garrafa de champagne estourada no banquete do Palácio do Catete, no Rio de Janeiro.
Afinal, depois de todas as lutas e dificuldades, ele e o novo presidente da república, cada um com sua conquista, haviam tomado posse.

















O encanto das artes




Sônia Maria de Faria - AIL

O poeta sonha...

E do arranjo das palavras

Nasce a poesia.

O músico, no sublime desejo,

Cria vida e sentimento

No arranjo dos sons.

Ambas – música e poesia –

Envolvem sonho, harmonia

E se entrelaçam no encanto do amor.

Um mundo de fascinação...

Mundo onde mora a sensibilidade...

Universo sem fronteiras

Sem fim.

Sempre haverá

O músico

O poeta

– Ora o pensamento sereno,

Ora a ânsia incontida –

E cantarão eles na pauta

A arte do amor...

A arte da vida...





As Posses



Carlos Alberto da Silva – AIL

O seu sonho era a casa própria. Quando tomaria posse dela? Ainda menino viera da área rural para a cidade. Estudara, mas não muito. O bastante para começar o seu trabalho, como empregado, no comercio local.

Dedicado, atencioso, curioso, assíduo. Com o tempo e a aplicação adquirira a confiança do patrão. Este lhe propusera sociedade. União entre capital e trabalho. Aceitara.

Enamorado de uma normalista vira na sociedade a oportunidade para consolidar a sua profissão e a união eminente.

Fora feliz em ambos. No dia a dia do comércio e no lar que construíra. A normalista se tornara dedicada professora e colaborava com seus rendimentos para a poupança do casal. Estavam otimistas. Os tempos eram diferentes. Não havia a guerra como quando se casaram em 1942 e o racionamento lhes assolara o lar.

Não. Minas era governada por um médico, ex - prefeito da capital e que aspirava a presidência da república com sua clareza de propósitos e simpatia contagiante.

Admirava-o. Sim, iria aderir ao entusiasmo do momento. Construiria a sua casa. Já possuía o terreno e o projeto, frutos de suas primeiras economias.

A obra se iniciara. As dificuldades foram muitas. Ora materiais inadequados. Ora mão de obra de pouca qualificação. E assim, aos poucos, mas sempre, tornara realidade o seu sonho.

Acompanhava, de longe, a trajetória do médico mineiro que se elegera. Mas, a instabilidade política do país era real. Golpes e contra golpes poderiam impedir sua ascensão à presidência da república. Mas a situação se acalmara quando um general, sisudo e de poucas palavras, exigiu respeito ao resultado eleitoral.

Era 31 de janeiro. O ano: 1956. A obra, finalmente,terminara. A casa reluzente. A pintura alegre. Os tacos encerados. As vidraças cristalinas. Estava orgulhoso ao lado da companheira inseparável. Naquele dia fizera a instalação das arandelas, do lustre da sala e dos globos dos cômodos e dos quartos dos meninos. Faltava somente a luminária do quarto de casal e para lá se dirigiu. Subiu na escada (em V invertido) e se preparava para a montagem da luminária escolhida com tanto gosto. Estava emocionado!

De repente, em uma manobra inadvertida, a luminária lhe escapou das mãos e se espatifou nos tacos de peroba do assoalho. Foi um barulho rouco e grave como o que se ouviu no espocar da primeira garrafa de champagne estourada no banquete do Palácio do Catete, no Rio de Janeiro.

Afinal, depois de todas as lutas e dificuldades, ele e o novo presidente da república, cada um com sua conquista, haviam tomado posse.

Provérbios e Flores do mês de novembro

Provérbios de Novembro -


Trinta dias tem Novembro, Abril, Junho e Setembro; de vinte e oito, só há um, e os mais têm trinta e um.


Outubro lavrar, Novembro semear, Dezembro nascer.


Cava fundo em Novembro, para plantares em Janeiro.

Flores de Novembro –

Ainda estamos na primavera. Época de cores e flores em profusão. Estação dos poetas. Estação de vida, de renascer, de alegria e de vitalidade.


Em novembro as mini margaridas, as gérberas,violetas florescem em profusão, os lírios e camélias, os crisântemos também são de novembro.


Homenagem do mês de Novembro –

Nossa homenagem especial neste mês de novembro vai para Rachel de Queiróz, que faria 100 anos no dia 17 de novembro.

Rachel de Queiróz nasceu em Fortaleza, Ceará, em 17 de novembro de 1910.
Em sua casa lia-se muito e, desde cedo, ela teve acesso aos bons livros. Em 1927, começou a colaborar regularmente com o jornal O Ceará. Três anos mais tarde, lançou seu primeiro romance, "O Quinze". O livro foi recebido com entusiasmo pela crítica de São Paulo e Rio, abrindo as portas do mundo literário para a jovem. Em 1932, foi publicado o romance João Miguel. Caminho de pedras, em 1937 e As Três Marias, em 1939, com fortes traços autobiográficos.
Além de romances, escreveu peças de teatro, livros infantis e mais de mil crônicas para a imprensa, que foram reunidas depois em diversos volumes.


Em 1977, tornou-se acadêmica na Academia Brasileira de Letras. Ainda em 1975 e 1992 voltou a escrever mais dois romances. Poucos dias antes de seu aniversário de 93 anos, Rachel morreu no Rio de Janeiro em 4 de novembro de 2003.


   - Curiosidade –

O primeiro romance de Rachel de Queiroz foi escrito em 1929, a lápis, num caderno, durante a recuperação de uma congestão pulmonar, e se passava em 1915, quando uma grande seca assolou o nordeste.





domingo, 7 de novembro de 2010

É novembro!

Novembro chegou para prenunciar o fim do ano. Dá para assustar com a velocidade da passagem do tempo. Já estamos praticamente no Natal. As lojas tem suas vitrinas enfeitadas com produtos natalinos. Muita cor e luz. Anjos em profusão.Guirlandas e bolas. E uma infinidade de enfeites. Os produtos importados atraem os consumidores e parece que foi outro dia mesmo, que guardamos a caixa com o presépio e embalamos os enfeites da árvore de natal.
Mas, ainda temos novembro inteiro e dezembro também quase inteiro, para planejarmos o fim do ano, terminar o que nos propusemos a fazer este ano ainda.
Aquela visita que ficou em débito, o telefonema de aniversário, que não foi feito, experimentar aquela receita para não errar no almoço de confraternização, a carta que ficou esquecida de responder. Ainda tem tempo. Vamos nos dedicar ao compromisso de amizade e amor. Sempre é tempo para o Amor.
Já que o nosso amigo anda voando, vamos nos atentar ao essencial e ele nos trará resultados mais animadores. Precisamos de fôlego. Então devagar e sempre!
Novembro é mês de advento. Preparemo-nos então para as manifestações de carinho, de solidariedade, companheirismo, amor e que o espírito de cidadania preencha as nossas vidas. Se quisermos mudar alguma coisa, lutar por melhores situações, sonhar com perspectivas melhores, é necessário abrir nossos corações e mentes e através de nossas produções literárias, levantemos a bandeira do bem amar, do bem querer e do bem sonhar. Levemos alegria às pessoas. Já é quase Natal!
                                                                                                      Lina M. L. da Silva. AIL

“Parabéns aos aniversariantes do mês de novembro.
Muita alegria e paz”.
Dentre as datas comemorativas de Novembro destacamos –

01 • Dia de Todos os Santos


02 • Dia de Finados


04 • Dia do Inventor


05 • Dia da Ciência e Cultura


14 • Dia Nacional da Alfabetização


15 • Proclamação da República


17 . Dia da Criatividade


19 • Dia da Bandeira


20 • Dia Nacional da Consciência Negra


21 • Dia das Saudações


22 • Dia do Músico


28 • Dia Mundial de Ação de Graças
Notícias da AIL-
* O professor Oscar Noronha, fundador e acadêmico da AIL, marcou, profundamente, a sua passagem pela imprensa itajubense, onde suas crônicas foram lidas e apreciadas pelos leitores do jornal “ O Sul de Minas” durante mais de três décadas. Foi também membro fundador da então Associação Comercial de Itajubá. Pela sua contribuição valiosa às letras e história de Itajubá, foi merecedor de uma homenagem em livro, organizado pelos Academicos Carlos Alberto da Silva e Marcos Antônio de Olivas.
“ Oscar Noronha, um artesão das palavras”, que em breve, propiciará ao leitor um maior conhecimento da sua obra.



* A Presidente da AIL, Terezinha O. Nascimento Rennó continua brilhando nos concursos literários e servindo de exemplo para todos os membros da AIL e afins da literatura. Recebeu Menção Honrosa pelo soneto "Descuido" no Concurso do Centro de Escritores Laurecianos -Lourenço do Sul – RS, cujo soneto aparece na página 44. em primorosa edição.

A presidente da AIL, Terezinha O. Nascimento Rennó em reunião da AIL secretariada pelo acadêmico Paulo Nogueira.
                 DESCUIDO
                              Terezinha O. Nascimento Rennó
A quantos versos me fiz desatento
e os perdi na fúria juvenil!...
Ai, quem me dera tê-los – cem por cento –
nessa idade em que me fiz senil?!...


Agora, é tarde!... Embota-me o intento!...
Inexorável, o tempo, sempre hostil,
Apaga na memória o bom momento,
e a luz se vai... Já não me é servil...

E o verso quente é brasa esmaecida.
E o vigor da rima - ora esquecida -
Ave ferida voa e não tem vez...

A fúria juvenil passou também.
Busco sedenta os versos que não vêm...
...ora, em mim, tudo é sombra e... talvez...

* A acadêmica da AIL Sônia Maria de Faria mereceu destaque na Revista Tradição, de Maringá,PR, que apresentou no último número, vários poemas seus. O editor da Revista, Sr. Jorge Fregadolli, muito tem prestigiado a AIL e sempre tem uma palavra de incentivo, admiração e apoio aos membros da AIL. A AIL e seus membros só tem a agradecer tanta consideração e carinho.



segunda-feira, 25 de outubro de 2010

O Informativo da AIL, Academia Itajubense de Letras, já está sendo enviado para os correspondentes e confrades.

Aí está o visual do informativo mês de outubro, que veio com poemas, textos, sonetos e noticias boas. Confiram!


Segue um soneto do confrade Benedito Paes.

NOITE DE LUAR
                 Benedito Paes-AIL

Desaba a tarde numa tristonha melancolia
Apressada vem a noite, escura e fria.
Os notívagos um-a-um deixam os ninhos:
Pouco-a-pouco cessam todos murmurinhos...

A noite chega, sem luar, na voz da poesia;
Mesmo escura, fria não lhe falta fantasia,
Que desfila envolta na quentura do vinho
E na gostosura de delicioso cafézinho...

A cidade cresce, avoluma, enche o jardim,
Se a noite não tem beleza, tem misticismo
Que derrama  na rua, na praça, nos cantos.

Eu, simples apreciador de belezas, afim,
Aproveito para dedilhar rimas de lirismo
Nos versos, na negrura da noite, quantos!

Reunião do Mês de Outubro.

A reunião da AIL do mês de outubro, aconteceu no dia 17, às 15hs, num clima de confraternização e alegria.
Foi homenageada pela Galeria dos Notáveis, a pianista e professora, D. Mariana Marques Machado. Com um currículo invejável e com um carisma peculiar, envolveu a todos os presentes numa aura de luz e arte. A tarde foi envolvente com apresentações musicais dos netos e bisneta de D. Mariana, e do coral da UNIFEI, que nos encantou. Compareceram à reunião  familiares da homenageada e inumeros amigos. A casa estava esbanjando musica, poemas e alegria.Muito foi dito, mas D. Mariana merece muito mais pela sua garra como mulher simples, valorosa, lutadora ,que deixou rastros a serem seguidos não só pelos seus descendentes, mas por todos que dela se aproximam. E, que a música nos acompanhe sempre, trazendo suavidade aos nossos dias!
                       D. Mariana, a homenageada, e a presidente da AIL, Terezinha O.Nascimento  Rennó
                                   D.Mariana se posicionando para os agradecimentos aos presentes.
Auditório cheio de presenças e muita atenção. Momento de enlevo!

                                    Obrigada, D Mariana! Pela sua presença na AIL e pelo momento tão especial.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Ainda em Outubro, dentre as datas comemorativas......

Lembremo-nos da criança que fomos e do professor que tivemos. Por isso uns versos infantis de Olavo Bilac sobre o mes de outubro.Extraido de " Poesias Infantis - Os Meses"  

Coro de crianças:
Passem os meses desfilando!
Venha cada um por sua vez!
Dancemos todos, escutando                                    
O que nos conta cada mês!


 Outubro:                                                                    
Foi neste mês que, por mares
Cheios de névoas e azares,
Cristóvão Colombo viu
Um novo e esplêndido Mundo
Surgir do Oceano profundo...

E a América descobriu.
As intrigas, os perigos,
A inveja dos inimigos
Não o puderam vencer;
Viu passarem as procelas
Sobre as suas caravelas,
Sem a esperança perder.
Glória ao Gênio destemido,
Que navegou conduzido
Pela sua intrepidez!
Ergamos a voz em festas
Àquele que estas florestas
Viu pela primeira vez!




Outubro chegou com perspectivas e esperanças.


                                          E tantas datas a serem lembradas...


 Datas Comemorativas do Mês de Outubro

01 · Dia Internacional da Terceira Idade



01 · Dia de Santa Terezinha


01 · Dia do Vendedor


01 · Dia Nacional do Vereador


03 · Dia Mundial do Dentista


03 · Dia do Petróleo Brasileiro


03 · Dia das Abelhas


04 · Dia da Natureza


04 · Dia do Barman


04 · Dia do Cão


04 · Dia do Poeta


04 · Dia de São Francisco de Assis


05 · Dia das Aves


05 · Dia Mundial dos Animais


07 · Dia do Compositor


08 · Dia do Nordestino


10 · Semana da Ciência e Tecnologia


10 · Dia Mundial do Lions Clube


11 · Dia do Deficiente Físico


11 · Dia do Teatro Municipal


12 · Dia de Nossa Senhora Aparecida


12 · Dia da Criança


12 · Dia do Atletismo


12 · Dia do Engenheiro Agrônomo


12 · Dia do Mar


12 · Dia do Descobrimento da América


13 . Dia do Terapeuta Ocupacional


13 · Dia do Fisioterapeuta


14 · Dia Nacional da Pecuária


15 · Dia do Normalista


15 · Dia do Professor


16 · Dia Mundial da Alimentação


16 · Dia da Ciência e Tecnologia


17 · Dia da Indústria Aeronáutica Brasileira


17 · Dia do Eletricista


18 · Dia do Médico


18 · Dia do Estivador


18 · Dia do Securitário


18 · Dia do Pintor


19 . Dia do Profissional da Informática


20 . Dia Internacional do Controlador de Tráfego Aéreo


20 . Dia do Arquivista


21 · Dia do Contato


23 · Dia da Aviação e do Aviador


24 · Dia das Nações Unidas ? ONU


25 · Dia da Democracia


25 · Dia do Dentista Brasileiro


25 · Dia do Sapateiro


28 · Dia de São Judas Tadeu


28 · Dia do Funcionário Público


29 · Dia Nacional do Livro


30 · Dia do Balconista


30 · Dia do Comerciário


31 · Dia Mundial do Comissário de Vôo


31 · Dia das Bruxas - Halloween



quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Dia 30 de setembro comemora-se o dia do coração.

Como está o seu?

 
Cuidado com o seu coração.













Ele merece carinho e cuidados.

Trabalha sem cessar, para que tenhamos vida e saude, e ainda de quebra, inspira poetas e apaixonados. Não tenho razão em dizer que ele precisa ser bem cuidado?

Pense nele ! Veja do que ele está precisando.

Mais calma, menos stress, vida regrada?

Menos exagero na alimentação? Controle médico?

Ninguém melhor que nós, que dependemos dele, para avaliarmos  nosso coração.

Presenteie seu coração e consequentemente presenteie sua vida.
 
Lina Maria Lisbôa da Silva - AIL